ABOZ - Associação Brasileira de Ozonioterapia

Este site foi desenvolvido para funcionar apenas com javascript habilitado!

Por questões de segurança e usabilidade, este site foi desenvolvido para funcionar apenas com javascript habilitado.

Se quiser continuar, ative o uso de javascript no seu navegador e atualize esta página.

Possui dúvidas? Entre em contato conosco!

Equipe ABOZ!

×

O evento não está disponível para inscrições a partir da área do conhecimento selecionada.

Você pode solicitar acesso VIP ao evento, dessa forma a inscrição estará disponível para qualquer área do conhecimento, entre em contato.

Caso já tenha solicitado acesso VIP, efetue o seu login e se inscreva! ;)

×

Este curso/evento não está disponível para estudantes! ;)

Em caso de dúvidas entre em contato conosco:

PagSeguro

PagSeguro é a solução do UOL para pagamentos online, que garante a segurança de quem compra e de quem vende na web. Quem compra com PagSeguro tem a garantia de produto ou serviço entregue ou seu dinheiro de volta. Quem vende com PagSeguro fica livre de fraudes e perdas em vendas online.

PayPal

PayPal é a maneira mais rápida e segura de pagar online com a segurança garantida dos seus dados. O PayPal é uma das plataformas mais utilizadas no mundo para transação com cartões.

Boleto Bancário

Para pagamentos no Brasil, com vencimento para três dias úteis. Sua afiliação/participação em evento será liberada após o pagamento do boleto.

Depósito Bancário

Para depósitos feitos no Brasil. Após a transação o depositante deverá enviar o comprovante para a ABOZ e sua afiliação/participação em evento será liberada após a confirmação pela ABOZ.

Biblioteca

Ozone: A New Medical Drug.

Ozônio: um novo medicamento médico.

Prefácio do livro:

Há alguma razão para escrever um terceiro livro sobre o tópico da terapia com oxigênio e ozônio? O primeiro foi escrito há quatro anos para médicos italianos que, há algum tempo, reclamavam da falta de informações precisas sobre o ozônio. Depois, tornou-se inevitável escrever um livro para quem falava inglês e demorou alguns anos porque achei que valia a pena examinar o problema em detalhes com atenção aos achados básicos, para que também pudesse ser útil para cientistas e médicos. O livro foi brevemente resenhado na "New York Academy of Sciences Magazine" e recebeu o prêmio "Tramezzi" em Roma, em outubro de 2003. No entanto, o livro não teve o sucesso que eu esperava porque, principalmente os cientistas americanos permaneceram céticos e desinteressados . No entanto, uma carta do Prof. L. Packer foi encorajadora dizendo: “há evidências crescentes de que oxidantes como muitos ros, incluindo o ozônio, fornecem um estresse oxidante leve que, em certas circunstâncias, realmente induz a formação de enzimas de fase 1 e fase 2, fortalecendo a defesa antioxidante sistema através de um processo de adaptação. Portanto, seria racional que um tratamento suave com ozônio estimulasse o sistema de defesa antioxidante. Então, acho que algumas de suas ideias têm base no trabalho científico atual. ” Na verdade, tenho várias razões para acreditar que um dos mais importantes pedestais da ozonoterapia se baseia na indução de proteínas do estresse oxidativo. No Capítulo 34 de meu livro anterior (2002), enfatizei a utilidade das terapias biooxidativas em países pobres, onde um bilhão de pessoas não têm outros recursos médicos, exceto as autoridades mundiais de saúde, especialmente a OMS, permaneceram desinteressadas por essa abordagem. É deprimente perceber como propostas úteis permanecem inéditas e quanto tempo e trabalho são necessários antes de sua implementação. No entanto, a pior decepção foi a leitura de algumas cartas de ilustres cientistas americanos no campo dos radicais livres, que eram e permaneceram tendenciosos para a ozonoterapia. Na verdade vários cientistas, que com certeza receberam o livro, nem se deram ao trabalho de responder. Alguém que, ao ler seus artigos julguei muito inteligente, me escreveu educadamente que, embora o livro apresentasse alguns aspectos interessantes, não o convenceu porque o dogma dominante nos EUA é que “o ozônio é tóxico e não deveria ser usado na medicina ”. Embora vários outros não fossem tão ingênuos em dizer tal coisa, estava claro que o livro falhou em remover o preconceito de suas cabeças. Por outro lado, recebi algumas respostas positivas de médicos, que apreciaram meu esforço em criar um esquema racional capaz de esclarecer como o ozônio age e por que a toxicidade pode ser evitada. Vários praticantes confessaram desinteresse pelos aspectos bioquímicos por dificilmente terem tempo de ler a parte prática. De modo geral, essas observações me ensinaram que muito mais trabalho era necessário antes de reverter o antagonismo, para corrigir o problema dos charlatões e estabelecer objetivamente os prós e os contras da ozonoterapia. Durante os últimos três anos, a experiência pessoal me convenceu de que o uso criterioso do ozônio pode ser muito útil em algumas doenças quando a medicina ortodoxa não tem mais recursos e os pacientes são abandonados à própria sorte. Para eles, o ozônio é mais valioso do que o ouro porque, pelo menos para alguns, pode restaurar a esperança e a saúde. Sinto-me um homem de sorte porque no final da minha vida acadêmica, em 1988, por mero acidente, me deparei com o problema do ozônio que, embora bastante polêmico, é um verdadeiro tesouro. Acredito que sim porque o ozônio, assim como o oxigênio, é uma molécula básica capaz de ativar um grande número de processos vitais. Me deprime pensar que o ozônio, a droga mais barata do planeta, seja hoje mal ou minimamente usado porque a medicina ortodoxa se recusa a avaliá-lo e as autoridades de saúde são antagônicas ou negligentes. Ambos são responsáveis ​​por deixar milhões de pessoas sofrendo e morrendo. Não devo desanimar e continuar a trabalhar e espero que a ozonoterapia acabe por beneficiar muitas pessoas. Não posso esconder meu sonho de organizar e trabalhar gratuitamente em uma grande clínica com colaboradores entusiasmados e capazes de avaliar a plena relevância da ozonoterapia. Existem muitos filantropos ajudando no desenvolvimento das artes, ciência e esporte e um dia teremos a sorte de encontrar alguém que acredite e valorize esta abordagem. Em conclusão, quais são os objetivos deste livro? Este foi escrito especificamente para médicos que desejam aprender e realizar uma ozonoterapia correta. Além disso, usando uma linguagem científica simples, o livro deve ser útil para o leigo, que deve receber as informações mais objetivas, evitando qualquer exagero indevido. Em comparação com o livro anterior, me esforçarei para ser claro, sem omitir os conceitos básicos essenciais para entender como o ozônio funciona sem causar efeitos deletérios. Vou abster-me de adicionar fórmulas químicas e diagramas complexos porque me disseram que eles são um tanto irritantes ou inúteis para pessoas inexperientes. Eu ficaria entusiasmado em ajudar e colaborar com pesquisadores clínicos se eles estiverem genuinamente interessados em avaliar a validade da terapia com ozônio. O maior esforço será dedicado a esclarecer em quais doenças a ozonoterapia tem se mostrado realmente útil e em outras onde a eficácia permanece incerta. Como os meios de comunicação de massa e os livros populares muitas vezes tendem a suscitar esperanças irrealistas, parece necessário que o leitor seja informado com precisão sobre as melhores opções disponíveis fornecidas pela medicina ortodoxa e, se necessário, pela ozonoterapia que, em qualquer caso, permanece uma abordagem complementar ou a último recurso. Por uma questão de brevidade e competência mínima, não vou sugerir outras abordagens complementares importantes, a menos que os dados científicos provem seu valor. (Velio Bocci).
Download

Autor: Bocci, V.

Revista: 2020-05-01