ABOZ - Associação Brasileira de Ozonioterapia

Este site foi desenvolvido para funcionar apenas com javascript habilitado!

Por questões de segurança e usabilidade, este site foi desenvolvido para funcionar apenas com javascript habilitado.

Se quiser continuar, ative o uso de javascript no seu navegador e atualize esta página.

Possui dúvidas? Entre em contato conosco!

Equipe ABOZ!

×

O evento não está disponível para inscrições a partir da área do conhecimento selecionada.

Você pode solicitar acesso VIP ao evento, dessa forma a inscrição estará disponível para qualquer área do conhecimento, entre em contato.

Caso já tenha solicitado acesso VIP, efetue o seu login e se inscreva! ;)

×

Este curso/evento não está disponível para estudantes! ;)

Em caso de dúvidas entre em contato conosco:

PagSeguro

PagSeguro é a solução do UOL para pagamentos online, que garante a segurança de quem compra e de quem vende na web. Quem compra com PagSeguro tem a garantia de produto ou serviço entregue ou seu dinheiro de volta. Quem vende com PagSeguro fica livre de fraudes e perdas em vendas online.

PayPal

PayPal é a maneira mais rápida e segura de pagar online com a segurança garantida dos seus dados. O PayPal é uma das plataformas mais utilizadas no mundo para transação com cartões.

Boleto Bancário

Para pagamentos no Brasil, com vencimento para três dias úteis. Sua afiliação/participação em evento será liberada após o pagamento do boleto.

Depósito Bancário

Para depósitos feitos no Brasil. Após a transação o depositante deverá enviar o comprovante para a ABOZ e sua afiliação/participação em evento será liberada após a confirmação pela ABOZ.

Notícias

Matéria sobre ozônio no esporte Veja o original das respostas da Aboz ao Portal G1/Globo

Matéria sobre ozônio no esporte Veja o original das respostas da Aboz ao Portal G1/Globo

 

Jornalista do portal de notícias G1 enviou perguntas à Aboz para “ouvir o outro lado”, como manda o bom jornalismo, já que a eficácia da Ozonioterapia é questionada por  outros entrevistados. Fazemos questão de publicar aqui as respostas na íntegra enviadas pela Aboz para que todos possam comparar com a matéria publicada. Segue também o link da matéria no G1.

 

https://globoesporte.globo.com/blogs/bastidores-fc/post/2020/02/28/sob-ciencia-do-cob-atletas-usaram-injecoes-de-ozonio-tratamento-controverso-no-brasil.ghtml

 

PERGUNTAS RESPONDIDAS PELA DIRETORIA DA ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE OZONIOTERAPIA ( ABOZ)  NO NOME DO SEU PRESIDENTE DR ARNOLDO DE SOUZA

 

  1. Quais são as principais vantagens desse tipo de tratamento? (No caso específico de lesões de atletas de alto rendimento)*

R: É um tratamento que não gera danos a nenhum outro sistema, pois estamos falando de um tratamento queativaprocessos biológicos endógenos eé capaz de atuar na recuperação da lesões, modularo processo inflamatório, recuperar a fisiologia tecidual e orgânica da região principalmente as mais afetadas que sao as lesoes mio-articulares por liberação de citocinas que estimulam proteoglicanos e colageno que sao importantissimos na saúde das aticulaçoes e inibe citocinas que levam a degradação dessas. Tem uma otima ação antiálgica e modula o estresse oxidativo inserido tambem neste contexto.

 

  1. - *Quais são os principais riscos, se é que há algum?*

R: Quando utilizado dentro das doses preconizadas, segundo protocolos pela Sociedade Internacional de Ozonioterapia, não há riscos associados.

 

  1. - *Um parecer do Conselho Federal de Medicina de 19 de abril de 2018 concluiu que "este procedimento é experimental devido à falta de evidências científicas baseada na revisão sistemática da literatura para o seu uso na prática clínica" e que "há elevado grau de incerteza quanto à eficácia do procedimento, assim como há ausência de benefícios nos prováveis efeitos da sua utilização clínica quando comparada aos tratamentos já consagrados". Esse parecer não inibe (ou limita) o uso de injeções de ozônio no tratamento de lesões de atletas?*

R: Realmente para o CFM a Ozonioterapia é um procedimento experimental mas temos que colocar alguns pontos importantes: primeiro, a técnica é liberada no Ministério da Saúde e áreas da saúde como Odontologia, Fisioterapia, Enfermagem e Farmácia cujos conselhos liberaram a técnica. Será que esses conselhos são irresponsáveis? Segundo, essa técnica é feita no mundo inteiro há muitos anos. Será que os profissionais da saúde do mundo todo são irresponsáveis? Terceiro, os deputados desse País foram em comitiva visitar os serviços de saúde pública em Portugal e ficaram muito impressionados com o uso da ozonioterapia há mais de 20 anos nos hospitais públicos de lá, como tambem vemos issos em diversos países do mundo. Quarto, a ABOZ apresentou inúmeros trabalhos com grau de evidência, inclusive um trabalho feito na USP para dor lombar, mostrando grau de evidência 1 B,enquanto o tratamento tradicional apresenta grau de evidência pior- 1 C. Vale ressaltar que a maioria dos tratamentos cardiológicos liberados no País tem grau de evidencia C ou menor. Será que realmente não existe trabalho com evidências suficientes para o CFM liberar a técnica?

 

 

 

 

  1. *Especialistas em medicina esportiva que ouvimos para esta reportagem criticam o tratamento com ozônio por sua "falta de foco". Um deles nos disse, textualmente, "o que é bom para tudo, acaba não sendo bom para nada". Como respondem a essa crítica?*

R: Um conceito obsoleto que ainda está presente em muitas escolas de medicina é o da “medicina de sintomas”, ou seja, medicamento para cada sintoma. O desenvolvimento de medicamentos é projetado de acordo com os esquemas clássicos da farmacologia, considerando uma molécula (medicamento) e um alvo terapêutico (receptor). Seguindo esse esquema os tratamentos são projetados em um contexto único para desenvolver um medicamento específico para um órgão, em vez de considerar o efeito no corpo humano como um todo, ou seja, o conceito integrativo . Ou seja tratar o sintoma e não a causa do problema. A Ozonioterapia atua como uma terapia complementar estimulando e regulando as vias fisiologicas alteradas após uma alteração sistemica do organismo.

Quem poderia responder melhor a respeito disso foi o Cristiano Ronaldo que se tratou de uma lesão grave que teve na final da Copa Européia de Seleções usando a Ozonioterapia como uma das principais técnicas de sua rápida recuperação, retornando com menos de 2 semanas aos jogos e tendo um desempenho de excelência.

 

  1. *No final do ano passado, uma decisão da Justiça Federal de Goiás impediu a realização de um curso de ozonioterapia. Na época, o presidente do CFM, Mauro Luiz de Britto Ribeiro, comentou com a seguinte declaração: “Essa determinação judicial salvaguarda a integridade de possíveis pacientes e evita a divulgação de propaganda enganosa e perigosa sobre um procedimento ainda experimental, conforme entendimento da Justiça". Como a ABOZ lida com essa postura por parte do CFM e de outras entidades médicas?*

R: Esse curso estava sendo administrado por um Fisioterapeuta. Desde que a Ozonioterapia foi incluída nas Práticas Integrativas e Complementares do SUS em 2018 o Conselho de Fisioterapia entende que a prática é permitida aos fisioterapeutas.  O curso foi bloqueado não pelo conteúdo, e sim pela forma como foi conduzida a divulgação.